Futebol

Macron cogita possibilidade de limitar cerimônia de abertura dos Jogos de Paris

Ludovic Marin

O presidente galicismo Emmanuel Macron

Ludovic MARIN

O presidente da França, Emmanuel Macron, iniciou nesta segunda-feira (15) a resenha regressiva de 100 dias para o início dos Jogos Olímpicos de Paris, com um oração para tranquilizar a opinião pública sobre as medidas de segurança para a cerimônia de brecha e mencionando, pela primeira vez, planos alternativos para o caso de uma ameaço terrorista.

“A cerimônia de brecha”, que acontecerá no rio Sena em 26 de julho, “é um pouco inédito do mundo. Podemos fazer isto e vamos fazer”, declarou o patrão de Estado em uma entrevista à BFMTV e à emissora de rádio RMC.

Porém, “há planos B e inclusive planos C, que preparamos de maneira paralela”, acrescentou Macron, que já havia mencionado a estudo de alternativas em outras entrevistas.

“Estamos preparando uma cerimônia que se limitaria, por exemplo, ao Trocadero”, uma dimensão que fica diante do rio e da torre Eiffel, explicou o presidente galicismo, que também citou a possibilidade de uma cerimônia no Stade de France, “porque é o que se faz tradicionalmente”.

Emmanuel Macron tentou tranquilizar a opinião pública sobre o dispositivo de segurança previsto para a cerimônia no rio. “Estamos estabelecendo um grande perímetro de segurança, vamos fazer a triagem de todas as pessoas que entram e saem”, insistiu.

Segundo uma pesquisa do instituto Ipsos publicada pelo jornal ‘La Tribune Dimanche’, somente 53% dos franceses afirmam que estão “interessados” pelos Jogos Olímpicos. E muitos entrevistados estão “preocupados” com a capacidade da França de prometer o bom desenvolvimento do evento.

A três meses do início dos Jogos Olímpicos, que terá a cerimônia de fecho em 11 de agosto, o presidente galicismo também destacou os benefícios diplomáticos das Olimpíadas.

A França “fará todo o verosímil para que aconteça uma trégua olímpica”, declarou Macron, que prometeu trabalhar na tarefa com o presidente da China, Xi Jinping, que visitará Paris dentro de algumas semanas.

Em novembro, a Reunião Universal da ONU pediu a todos os países do mundo que respeitem a tradicional “trégua olímpica” durante os Jogos de Paris-2024.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios