Futebol

encontro de técnicos com menos de dez dias de trabalho

Foto: Staff Images/Cruzeiro

Fernando Seabra admitiu má performance do Cruzeiro em sua estreia

Primeiras SAFs entre os gigantes do país, Cruzeiro e Botafogo iniciam o Campeonato Brasílio, neste domingo (14), às 17h (horário de Brasília), no Mineirão, com a crista baixa. Aliás, mesmo nesta fundura da temporada, com inícios de trabalhos. Raposa e Glorioso começaram do zero nesta semana, em plenas competições continentais. Agora se enfrentam em um tira-teima para saber quem está mais retardado e com o planejamento mais defasado.

O clássico colocará frente a frente os técnicos Fernando Seabra (Cruzeiro) e Artur Jorge (Botafogo). Os dois comandantes ainda não completaram dez dias de trabalho em seus respectivos clubes. Em cenário distintos, os dois, aliás, vão trinchar um dobrado para gabar o nível de seus times.

Seabra já começa no olho do furacão

Na Raposa, Seabra assumiu às pressas, no lugar de Nicolás Larcamón, técnico que conseguiu tirar o time celestial na primeira tempo da Despensa do Brasil e perder uma final Estadual para o Atlético, em um Mineirão tomado pela China Azul e com a vantagem do empate.

Solução barata, o novo treinador do Cruzeiro é profissional em garimpar talentos da base e foi muito no sub-20, mas conta com pouca experiência porquê profissional, por fim, treinou a equipe somente na reta final do último Brasileirão, porquê interino. Sua responsabilidade é a pequeno prazo: deixar a Raposa longe da zona de rebaixamento.

Nesta semana, em sua estreia, a Raposa protagonizou um dos maiores vexames de sua história recente. Em seguida perfurar 3 a 0 sobre o Alianza Patriota, deixou o penúltimo posto do Campeonato Colombiano empatar em 3 a 3. Sinistro em Belo Horizonte.

“Se é importante o método do Cruzeiro, o fortalecimento da instituição e fazer com que todas as áreas sejam partes ativas na construção do jogo, zero melhor que é o Seabra. Não só porque ele acredita, mas porque acreditamos que eles têm a liderança, a capacidade e as ferramentas para fazer com que todas as áreas cresçam neste processo”, pontuou Pedro Martins, diretor de futebol da SAF celestial.

Artur Jorge e o ‘Botafogo Way’

Porquê se não bastasse perder o último Campeonato Brasílio de forma traumática, o Botafogo ficou mais de um mês sem treinador, em 2024. Assim, o clube teve que trocar o pneu com o carruagem em movimento, ou seja, em plena Despensa Libertadores, competição na qual o time só foi chegar à tempo de grupos depois de duas eliminatórias. A consequência da falta de planejamento respingou na campanha: duas derrotas em dois jogos e lanterna da chave.

Recém-chegado, Artur Jorge tem, logo, o duelo de se virar com um elenco dispendioso e desequilibrado. Ao contrário de seu oponente deste término de semana, o português é o encarregado de inaugurar, enfim, o “Botafogo Way”, projeto esportivo de John Textor que prevê um time propositivo e protagonista nas partidas. A grande questão é: o técnico e o sócio majoritário da SAF convencerão a torcida a ter a paciência para um projeto de médio a longo prazo?

Artur Jorge, em Quito, nesta semana, provou que a vocábulo “coragem” não está à toa em sua cabeceira. Ele contrariou os prognósticos e escalou o Botafogo com quatro atacantes, em uma tática kamikaze e inédita. O técnico será leal às suas convicções ou vai recuar?

“É um prazer enorme, uma honra para mim treinar o Botafogo. Estou satisfeito e prestes para outras batalhas que virão. Procuramos ter condições de ter uma equipe ofensiva, com mais critérios”, avisou o treinador português do Botafogo.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook
.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios