SAÚDE

4 mitos sobre as compressas frias e quentes

Bolsas de chuva quente e compressas de gelo são úteis para conforto de dores (Imagem: Andrey_Popov | Shutterstock)

4 mitos sobre as compressas frias e quentes

As bolsas de chuva quente e as compressas de gelo costumam ser utilizadas para ajudar a sossegar dores musculares, reduzir inflamações e facilitar na recuperação de lesões. Seja no contexto esportivo ou no dia a dia, as compressas têm sido empregadas uma vez que uma forma de autotratamento para diversos desconfortos físicos.

No entanto, o uso frequente desses métodos sem considerar suas aplicações específicas e sem orientação médica gera uma série de mitos em torno de sua eficiência e segurança. Assim, Bernardo Sampaio, fisioterapeuta e Diretor Galeno do ITC Vertebral de Guarulhos, esclarece alguns equívocos relacionados ao uso de compressas frias e quentes em lesões. Confira a seguir!

1. A bolsa de chuva quente é mais eficiente do que gelo para tratar contraturas musculares

Bernardo Sampaio explica que, dependendo da lesão, a chuva quente pode ajudar a relaxar os músculos e sossegar a dor em casos de contratura muscular, mas nem sempre é a melhor opção. “Aliás, procure conciliar o uso da bolsa de chuva quente com outras medidas. Exemplos simples podem ser: se a tensão for nas costas, fazer leves e pequenas
caminhadas

durante o dia pode ajudar a diminuir as dores; ou, logo, se o pescoço ou nuca estiverem tensionados, optar por não dormir de bruços”, completa o perito.

2. O gelo é anti-inflamatório

Quem nunca foi aconselhado a usar gelo para ajudar em inflamações? “O uso de pedras de gelo no momento da
lesão

promove o que chamamos de vasoconstrição, que zero mais é do que a contração dos vasos sanguíneos. Aliás, ele auxilia no controle do edema, mas não há evidências de que melhore a inflamação do sítio”, explica o fisioterapeuta.

3. A emprego de calor é sempre melhor do que o gelo para relaxar as estruturas musculares

O fisioterapeuta diz que “cada caso é um caso”. Porém, sim, a bolsa de chuva quente pode ser uma supimpa opção para dores de cabeça,
cólicas menstruais

, dores musculares pós-treino ou depois de realizar exercícios físicos.

4. O gelo é mais eficiente do que o calor no tratamento de tendinopatias

O gelo ajuda a controlar o edema (inchaço) quando ocorre, o que não é muito generalidade na tendinopatias, mas pode ocorrer. Acreditava-se no poder anti-inflamatório do gelo para as tendinopatias, porém foi visto que essas propriedades são muito fracas e ainda podem atrapalhar na recuperação do tendão.

“Para tratar corretamente as tendinopatias, uma série de cuidados devem ser tomados: o uso de talas na região do punho pode facilitar em um primeiro momento (não uma vez que recurso único); repouso inteiro não é indicado, pois devemos, na verdade, controlar a fardo que será exercida no tendão para uma boa recuperação do tecido, logo exercícios leves e específicos devem ser utilizados”, explica Bernardo Sampaio. Aliás, segundo o profissional, o uso de anti-inflamatórios e analgésicos sob récipe médica, combinados à
fisioterapia

, é a principal forma de prometer que as dores não persistam.

Por Fernanda Cezar

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios