SAÚDE

Veja as características dos transtornos do neurodesenvolvimento

Transtornos do neurodesenvolvimento começam ainda na puerícia (Imagem: Nicoleta Ionescu | Shutterstock)

Veja as características dos transtornos do neurodesenvolvimento

Durante o desenvolvimento infantil, é geral ouvir que cada petiz tem seu tempo, seja porque está demorando para falar ou marchar, ou até por apresentar seletividade cevar. Porém, a conscientização sobre os transtornos do neurodesenvolvimento, condições que afetam o progresso de habilidades em diversas áreas, tem mudado esse oração.

“Hoje em dia, a sociedade está mais atenta a isso do que há alguns anos em que se admitia que ‘toda petiz tem seu tempo’ e com isso se perdia um tempo valedouro de oportunidade para o diagnóstico e mediação precoce”, diz o Dr. Hélio Van der Linden Júnior, neurologista infantil da Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil (SBNI).

Tipos de transtornos do neurodesenvolvimento

Os transtornos do neurodesenvolvimento são condições que começam durante a puerícia, afetando o desenvolvimento de habilidades em várias áreas, uma vez que linguagem, informação, habilidades motoras, sensoriais e socioemocionais.

“Dentro dos transtornos do neurodesenvolvimento, há o Transtorno do Espectro Autista (TEA), Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Transtornos de Aprendizagem, Transtorno no Desenvolvimento da Linguagem, entre outros”, explica o médico.

Sinais dos transtornos

Cada transtorno tem características específicas, mas todos compartilham um impacto significativo na vida da
petiz

e de sua família. Entre alguns dos sinais, estão:

  • Atrasos no marco do desenvolvimento;
  • Dificuldades persistentes de informação ou interação social;
  • Comportamentos repetitivos ou estereotipados;
  • Impulsividade extrema;
  • Problemas de atenção;
  • Dificuldades de aprendizagem.

Benefícios do diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce tem um papel fundamental nas estratégias de mediação e tratamento. Identificar um transtorno do neurodesenvolvimento o mais cedo verosímil permite o início subitâneo de terapias, a procura por
programas educacionais

adaptados e esteio psicológico tanto para a petiz quanto para sua família. Essas intervenções minimizam os impactos do transtorno, promovendo um desenvolvimento mais saudável.

Segundo o neurologista, quanto mais precoce for o esteio médico,
melhor o resultado.

“Logo, se há alguma incerteza, alguma suspeita de qualquer delongado, procure um profissional para fazer uma boa avaliação e, eventualmente, encetar o tratamento adequado”, finaliza.

Por Priscila Forgione da Cunha Santos

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios