ECONOMIA

Entenda como definir o pró-labore do seu negócio

Gestão financeira reduz o endividamento das companhias (Imagem: yabluko_draws | Shutterstock)

Entenda uma vez que definir o pró-labore do seu negócio

Segundo dados da Serasa Experian e Sebrae, realizar a gestão financeira para pequenas e médias empresas (PMEs) pode reduzir em 58% o endividamento das companhias e aumentar em 7% o seu faturamento médio. Uma porcentagem significativa para a economia vernáculo, uma vez que elas representam 50% do valor associado do país, conforme informações do Ministério do desenvolvimento, Indústria, Negócio e Serviços (MIDC).

“É traje que as PMEs desempenham um papel fundamental na economia, gerando empregos e impulsionando a inovação no mercado, porém sem o conhecimento em gestão financeira, esses pequenos e médios negócios enfrentam desafios significativos que podem prejudicar o prolongamento e até mesmo levar à falência”, esclarece a educadora financeira Aline Soaper, primeiro da Health Money, empresa especializada no serviço de gestão e assessoria financeira para micro e pequenas empresas.  

Diferença entre o pró-labore e os dividendos

O pró-labore é a retribuição justa pelo trabalho desempenhado pelos
sócios administradores

da empresa, um tanto uma vez que o “salário do empresário”. Assim, ocorre a separação do patrimônio e a renda pessoal dos empreendedores. Vale ressaltar que o pró-labore é uma obrigação legítimo e sujeita a tributo previdenciária.

Em seguida remunerar todas as despesas, incluindo o pró-labore, a Aline Soaper explica que os lucros ou dividendos são distribuídos aos sócios, proporcional ao seu investimento no negócio. Levante valor é transferido para a conta pessoal dos sócios sem impostos adicionais.

“O pró-labore é a remuneração dos sócios administradores, pagável mesmo sem lucro perfeito. Já a distribuição de lucros é a partilha dos lucros restantes, proporcional à participação no capital social. A chave para um negócio bem-sucedido é prometer que ambos sejam administrados de forma justa e equilibrada, assegurando a motivação dos sócios e a sustentabilidade do negócio”, afirma a educadora financeira.

Porquê funciona a distribuição de renda?

Para a profissional em gestão empresarial, compreender a definição correta do pró-labore (remuneração dos sócios) e a diferença da distribuição dos dividendos, muito uma vez que suas obrigatoriedades e timings,
é crucial para uma subdivisão justa e estratégica da renda. “O pró-labore deve ser um valor fixo mensal de retirada para a remuneração dos sócios. Já os dividendos não devem ultrapassar 50% do lucro anual”, diz Aline Soaper.

Segundo ela, a Lei das Sociedades Anônimas prevê subdivisão de, no mínimo, 25% dos lucros entre sócios e
investidores

, exceto na disposição estatutária menor. “Logo, se a empresa ainda não realiza a distribuição de lucros de forma estratégica, é hora de reavaliar as práticas financeiras para implementar uma gestão de dividendos eficiente, garantindo o prolongamento sustentável do negócio”, conclui a profissional.

Por Carla Osada

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios